Voz das Comunidades e seus 16 anos anos de atuação

O Voz das Comunidades chega aos seus 16 anos com um total de 80 voluntários ativos. Sem esse grupo de pessoas que doam tempo para atender a comunidade, nada seria possível. Vivemos um momento muito difícil por conta da Covid-19, doença que deixou muitos moradores em extrema vulnerabilidade social. Durante os períodos mais tensos, os projetos sociais e as ONGs das comunidades foram na maioria das vezes responsáveis pela sobrevivência de muitas famílias.

Em 2020, o Gabinete de Crise do Complexo do Alemão foi criado pelo Voz  junto com os projetos Mulheres em Ação do Alemão (MEAA) e Coletivo Papo Reto. Com essa conexão foi possível atender 55 mil famílias com cestas básicas, doadas com a solidariedade de apoiadores e instituições privadas que acompanham os projetos. A partir dessa experiência foi possível perceber a necessidade da criação de uma equipe de Responsabilidade Social no Voz, que hoje trabalha intensamente, assim como também não deixa de oferecer lazer e cultura com ações, como o Cinema no Morro e Bombeirinhos Mirins.

O jornalismo também nunca parou. A equipe se readaptou e o amadurecimento chegou junto com os desafios de cada dia. No portal, você encontra as notícias das favelas, pautadas por uma equipe, ‘cria’ desses espaços, assim como nas redes sociais, onde é possível acompanhar informações atualizadas e assistir às notícias ao vivo. O jornal impresso chega nesta edição 73 de forma sólida e mais madura, acompanhando o desenvolvimento da ONG.

“Creio que a ONG Voz das Comunidades, durante esses 16 anos, tem sido muito relevante não só para o Complexo do Alemão, onde tudo se iniciou, mas também para outras comunidades e cidades do Brasil. A capacidade de um jornal comunitário de levar comunicação para dentro das favelas, mostrar a importância que uma favela tem e suas culturas, é gigantesca. Nossas ações em prol da comunidade foram de bastante ajuda em um período no qual muitas famílias não tinham a possibilidade de uma alimentação digna. E seguimos nesse caminho de ajudar a todos”, comenta Geisa Pires, responsável pela equipe de Responsabilidade Social. 

Moradores do Vidigal agora também passam a receber o jornal Voz das Comunidades, assim como as ações que em breve serão implantadas, conforme conta Felipe França, da equipe de logística. “A ONG Voz das Comunidades, ao longo desses 16 anos, tem feito uma diferença inenarrável, não só para os moradores do Complexo do Alemão e da Penha, como em outras comunidades em que atuamos, com nossas ações sociais e com nosso jornalismo comunitário, mostrando nas nossas redes sociais e jornal impresso, e em grandes mídias, a nossa realidade, a nossa cultura, a nossa arte. Mediante a esse conhecimento que ganhamos com esse tempo atuando, a ONG conseguiu chegar em lugares que almejamos. Porém, não imaginávamos que a proporção seria tão grande. Com isso, seguimos todos juntos, dando alcance a nossa voz, a Voz das Comunidades”. 

About the Author

You may also like these